Notícias

Ciclovias ajudam, mas carioca quer mais segurança para andar de bicicleta

27 de outubro de 2017

Os 450 quilômetros de ciclovias que garantem ao Rio a vice-liderança no quesito tamanho da malha cicloviária nacional podem aumentar. Até o fim do ano, promete a prefeitura, a Zona Oeste deve ganhar mais 6,7 quilômetros: 3,2 em Sepetiba e 3,5 no Recreio dos Bandeirantes. A ampliação das faixas do Centro está em estudo na Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserma). A construção dessas estruturas é o segundo anseio mais desejado pelo carioca, de acordo com a última edição da Pesquisa de Percepção, realizada pelo movimento Rio Como Vamos bienalmente.

Se 45% dos moradores do Rio querem mais ciclovias e ciclofaixas, a maioria, porém, quer segurança: 51% dos ouvidos no levantamento declararam esse desejo. A vontade é justificada. De janeiro a agosto, foram notificados 779 casos de roubos e furtos de bicicletas na capital fluminense, uma média de 22 por semana. “Ainda existe, infelizmente, um mercado clandestino de bicicletas e peças roubadas”, lamenta Thereza Lobo, coordenadora executiva do Rio Como Vamos. “A integridade dos ciclistas também é alvo de motoristas irresponsáveis e é ameaçada pela falta de caminhos adequadamente estruturados”, constata a socióloga.

Já 29% dos cidadãos priorizaram a instalação de bicicletários, enquanto 28% citaram a melhoria de sinalização das ruas. Para Thereza Lobo, esses dados reforçam o senso comum de que a cidade ainda prioriza os automóveis em detrimento de outros meios de transporte, sobretudo a bicicleta: “A pesquisa mostra que muitos cariocas querem o básico, que é uma estrutura fundamental que incentive e facilite o uso das bicicletas”, afirma.

Pesquisa de Percepção

A Pesquisa de Percepção é promovida a cada dois anos pelo movimento Rio Como Vamos. O trabalho funciona como um termômetro de satisfação popular e indica pontos que merecem atenção por parte da gestão municipal. Em 2015, foi realizada a quinta edição do levantamento, a mais recente. Os pesquisadores foram a campo em junho e entrevistaram cerca de 1.500 moradores de diversos bairros. Todas as informações apuradas foram analisadas por faixa etária, área de planejamento de residência e classe social dos entrevistados.

Sobre o Rio Como Vamos

Fundado em 2007 por cariocas apaixonados pelo Rio de Janeiro e empenhados em promover mudanças no município, o Rio Como Vamos tem como objetivo contribuir para o aumento na qualidade de vida da cidade. É um movimento de cidadania, que acredita na combinação de uma boa governança com uma sociedade comprometida para trazer melhorias sociais, econômicas e estruturais para a cidade. O grupo promove trimestralmente e anualmente atualizações de indicadores do Rio e a cada dois anos pesquisas de percepção dos cariocas, além de participar de interlocuções frequentes com o poder público e a população.